Pular para o conteúdo principal

Qual é a sua profissão?

Espero que tenham tido uma boa páscoa!
Queria me desculpar pela ausência, tudo culpa da minha faculdade. Trabalhos e mais trabalhos, não sobra muito tempo (nem mesmo no fim de semana).
Bom, desse cansaço que é a faculdade que eu vou tirar o meu post de hoje.
__________________________________________

Me lembro de um tópico na "Desenho, logo existo" que era algo do tipo "Você trabalha como desenhista?" (isso há muito e muito tempo atrás haha)
Mais de 90% das pessoas que responderam não tinham uma profissão ligada diretamente ao desenho (ou as artes em geral). Eram matemáticos, professores, psicólogos... E, de vez em quando, aparecia um web designer.
Mas todos tinham uma paixão em comum: desenhar. E ai eu comecei a me perguntar: mas por que eles não seguiram uma carreira ligada ao desenho?
Lógico que alguns provavelmente tinham outras paixões (umas até maiores do que o desenho), mas grande parte não segue por medo.
Medo de não arrumar trabalho, simples. Medo de ser pobre. Mas será que vale a pena ser rico e infeliz?
Vou contar um pouco da minha tragetória.

Prédio principal da UFRRJ, onde tenho aulas práticas.
Entrei muito cedo na faculdade, mas já entrei decidida de que queria me formar em artes. Passei para o curso de Belas Artes na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) em 2009, com 16 anos.
Chegando lá, me deparei com pessoas totalmente diferentes de mim. Da minha turma (que tinha, mais ou menos, 20 pessoas), no máximo umas cinco já desenhavam antes de entrar pra faculdade. Em média, 10 pessoas gostavam de artes e o resto estava ali mais para fazer figuração do que para estudar.
Acho que todos nós (inclusive eu) achávamos que iria ser um curso fácil, mas logo no início já nos deparamos com dificuldades. A carga prática é MUITO alta, assim como a teórica. São textos pra ler, trabalhos pra fazer, o tempo inteiro. E isso só vai "piorando" com o tempo.
Aos poucos, as pessoas que entraram só porque era um curso fácil foram desistindo (estou há dois anos na faculdade e minha turma agora tem só 10 pessoas). Os que ficaram só ficaram porque realmente gostam.
Bom, o que eu quero mostrar com isso? Quero mostrar que, pros que procuram "cursos fáceis" e vão para a área artística só para arrumar um diploma, desistam. Vocês não vão conseguir muita coisa.
Pros que amam arte e têm medo de cursar: deixem o medo de lado. Você não vai morrer de fome se tomar a arte como profissão, mas vai ter que se esforçar muito. Você só tem uma vida, não a gaste sentado em uma mesa de escritório enquanto poderia estar sentado em frente a um cavalete. 
Eu estudo artes e, diferente de muitos estudantes de engenharia, nunca deixei de fazer estágio (e todos foram remunerados), desde o meu 2º período (em alguns lugares se fala 2º semestre, eu acho). Enquanto eu dou aulas de desenho, os estudantes de outros cursos se matam pra conseguir um estágio não-remunerado na área deles pra crescer seus respectivos currículos.


Espero que tenha esclarecido alguma coisa pros que ainda estão em dúvida sobre o que cursar! :)
Se alguém quiser perguntar alguma coisa, faça por comentário que eu responderei.
Beijos e boa semana.


Nanda Attianezi

Comentários

  1. Nossa... Admiro demais você Nanda. Serve de exemplo pra um monte de gente (inclusive pra mim).

    ResponderExcluir
  2. Muitíssimo bom o post.
    Eu por exemplo, amo, amo Biologia, mas Amo Profundamente Artes e confesso que já senti esse medinho ai que citou ^^
    Mas hoje passou e estou convicta que tanto artes como biologia eu estarei fazendo o que amo *,* FELIZMENTE rsrs
    Muiito feliz por vc viu.
    Que todos siguam seu exemplo
    Bjss

    ResponderExcluir
  3. Boa noite, eu poderia usar uma dessas imagens como art para uma camisa do grupo de dança que faço parte?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

O que você achou? ^-^

Postagens mais visitadas deste blog

Significado dos Rabiscos Involuntários

Boa Noite Galerinha *-*, animados pra muito chocolate ? srrss
Há muito tempo atrás, eu navegava muito pela net pesquisando testes, perdia horas fazendo-os, até que uma vez, encontrei um teste, mas sobre desenho, sim, aqueles que vc faz involuntariamente,e que podem demonstrar mesmo que sem querer, uns traços de sua personalidade. Enfim, guardei-o com carinho e hoje, fuçando as coisas do pc, achei exemplo de alguns, qual será que vc se identifica enh ? :3 "Espirais: Quem fica desenhando espirais não gosta de ficar sozinho. Desenhos assim são feitos, geralmente, por pessoas que gostam de se destacar no grupo e batalham para ter alguma função em qualquer lugar, em qualquer turma". Espiral para cima - vontade de crescimento - alto astral Para baixo - falta de animo- baixo astral

Tipos de Papéis *-*

Oi pessoal, dessa vez passando para falar sobre nosso amigo mais intimo, mais presente companheiro, nas horas de desenhar, o Papel, como sabemos existe vários deles e para o bom desempenho do trabalho é fundamental um papel adequado. Existem vários tamanhos, gramaturas, marcas e tipos de papéis sendo que cada um é indicado para certos materiais ou técnicas. Vamos começar ?

Tamanho
A primeira coisa para saber sobre os papéis é o tamanho. Para efeito de desenho e artes em geral é suficiente conhecer o tamanho dos papeis que são: A4, A3, A2, A1 e A0. Os seus respectivos tamanhos são:

A4 – Tamanho: 21,0 x 29,7 cm.
A3 – Tamanho: 29,7 x 42,0 cm.
A2 – Tamanho: 42,0 x 59,4 cm.
A1 – Tamanho: 59,4 x 84,0 cm.
A0 – Tamanho: 84,0 x 118,8 cm.


Obs. A maioria dos tipos de papéis só são vendidos somente no tamanho A0. É preciso, na hora da compra, pedir para cortar no tamanho desejado.

Arte e Ciência

O diálogo entre arte e ciência mais antigo está presente nas ilustrações de relatos científicos feitos por viajantes, navegadores e pesquisadores. Exemplos famosos são os desenhos de Leonardo Da Vinci da anatomia humana e os de naturalistas e pintores que percorreram o mundo em grandes navegações exploratórias, registrando esboços de animais e plantas, como os botânicos Carl Friedrich Philipp von Martius e Eugen Warming. "O desenho é uma linguagem universal que, frequentemente, dispensa o texto descritivo e a oralidade para explicar os objetos; a ilustração científica, portanto, funciona como ferramenta de apoio à imaginação para explicar ciência", afirma Diane Carneiro, professora da área de ilustração científica do Centro de Ilustração Botânica do Paraná (CIBP).