Pular para o conteúdo principal

Arte e Ciência

O diálogo entre arte e ciência mais antigo está presente nas ilustrações de relatos científicos feitos por viajantes, navegadores e pesquisadores. Exemplos famosos são os desenhos de Leonardo Da Vinci da anatomia humana e os de naturalistas e pintores que percorreram o mundo em grandes navegações exploratórias, registrando esboços de animais e plantas, como os botânicos Carl Friedrich Philipp von Martius e Eugen Warming. "O desenho é uma linguagem universal que, frequentemente, dispensa o texto descritivo e a oralidade para explicar os objetos; a ilustração científica, portanto, funciona como ferramenta de apoio à imaginação para explicar ciência", afirma Diane Carneiro, professora da área de ilustração científica do Centro de Ilustração Botânica do Paraná (CIBP).





"Com poucas exceções, os grandes cientistas são pensadores visuais, no sentido de que visualizam suas ideias antes de expô-las na forma de palavras", enfatiza Alberto Cairo, ex-editor de infografia do jornal El Mundo e professor de infografia e multimídia da Universidade da Carolina do Norte, nos EUA. Para ele, uma tradição prejudicial na cultura ocidental fomentou o conceito de que o pensamento é um processo exclusivamente verbal, quando as palavras não são mais que um meio de codificação de informação, como as imagens. "Pense também na única ilustração no livro A origem das espécies de [Charles] Darwin, que se conhece como a 'árvore da vida'. Essa imagem é central em seu pensamento", recorda. Para Cairo, hoje qualquer cientista usa imagens como um meio confiável de codificar informação. Os bons diagramas ajudam o pensamento porque revelam padrões nos dados, mostram múltiplas variáveis, ao mesmo tempo, permitem ver objetos ocultos e compreender melhor as conexões entre fenômenos e sujeitos.
O conceito de ilustração científica vai além do desenho e da pintura. Da mesma forma que a fotografia e a ilustração se diferem por seus objetivos, mapas, diagramas, gráficos e infográficos também são artifícios que evidenciam diferentes informações e dados e que auxiliam a ter uma visão mais ampla da problemática apresentada por um discurso científico, em qualquer nível. "Quando se utiliza analogias em forma de imagem, a tendência é romper a barreira inicial que se poderia ter com um tema científico, digamos", explica Tattiana Teixeira, professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e coordenadora do Núcleo de Pesquisas em Linguagens do Jornalismo.
ARTE NA CIÊNCIA? "A ilustração científica não é arte e vice-versa", sentencia Tattiana. Opinião similar tem Sílvia Di Marco, pesquisadora associada ao projeto "A imagem na ciência e na arte", da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. "A ciência sempre usou imagens para pensar, comunicar entre pares, ensinar e, em geral, não tem preocupação nenhuma com a arte, embora haja casos nos quais é evidente a influência dos padrões estéticos dominantes de uma época dentro das representações científicas", avalia. Em sua análise, normalmente a arte se preocupa com a ciência mais do que os cientistas se preocupam com a arte. Uma boa imagem para a ciência é aquela considerada inteligível, o que deixa a preocupação estética em segundo plano.
James Elkin, professor da Escola de Artes da Universidade de Chicago, EUA, é mais cauteloso e acredita ser necessário resistir à conclusão de que essas imagens sejam única e exclusivamente informacionais e sem qualquer valor estético. Em artigo publicado no The Art Bulletin (vol. 77, n. 4, 1995) ele argumenta que se fosse possível ampliar os estudos em história da arte sobre o campo das imagens não artísticas, haveria a possibilidade de se criar uma história própria para cada um desses campos, em especial dentro das áreas científicas. "A história das imagens na cristalografia, astronomia e microscopia poderiam ser escritas do início", reforça.
IMAGEM E SIGNIFICADO "Hoje, qualquer manual educativo está cheio de imagens, diagramas, esquemas, mapas, gráficos estatísticos, etc". Cairo acrescenta que tais recursos não são meros desenhos. "Cada tipo de dado corresponde a um jeito adequado de codificação. Os mecanismos mentais que facilitam a compreensão de diagramas (como mapas) já são inatos nas gerações atuais. E temos mais possibilidades de escritas diagramáticas, o que evidencia existir outras formas mais adequadas para transmitir determinadas informações", finaliza.
A contribuição das imagens para a medicina, por exemplo, é inquestionável, assim como a infografia é uma forma de narrativa que vai além da apresentação pura e simples de dados, criando narrativas tão complexas quanto um texto escrito.
Diante de múltiplas possibilidades no uso de imagens para melhorar a compreensão do pensamento Henrique Cézar da Silva e colegas analisaram como essas novas tecnologias e métodos de visualização contribuem para a imagem da ciência junto a estudantes. Em artigo publicado na revista Ciência e Educação (Vol.12, nº 2, 2006), da Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista (Unesp), os autores concluem que, na última década, o desenvolvimento de tecnologias resultou em uma brutal intensificação da quantidade de imagens constitutiva de nosso cotidiano e que, portanto, a leitura dessas precisa ser ensinada. "É importante que sejam criados espaços curriculares nos quais se possa analisar a aula como processo discursivo, discutindo o funcionamento de diferentes formas de linguagem associadas ao processo de ensino e aprendizagem", diz Cézar da Silva.


RISCOS DO CLICHÊ Para o semiólogo italiano Omar Calabrese, professor da Universidade de Siena e autor do livro A idade neobarroca?, ao adentrar o imaginário do público leigo essas imagens poderiam cristalizar clichês e padronizações. Há o perigo da "estética da repetição", jargão usado por Calabrese. "Lógico que isso é um perigo. Pense, por exemplo, na representação do átomo como um grupinho de planetinhas (elétrons) rodando ao redor do núcleo. Isso é um ícone que está na memória coletiva e que é muito difícil mudar", diz Cairo. "O perigo da massificação do conhecimento, da estagnação e da acomodação dos estudantes no mínimo de conteúdos apresentados na internet existe em qualquer área; na área científica não é diferente", concorda Fátima Zagonel, ilustradora e também vinculada ao CIBP. Mas, a pesquisadora enfatiza que é necessário criar uma cultura para orientar o uso dessa mídia, para que não ocorra a estagnação da pesquisa. O incentivo à leitura e à busca do conhecimento nas fontes originais (livros, revistas e publicações específicas) também colabora para que não ocorra a superficialidade de conteúdos e a criação de ícones (imagéticos) que levam a generalizações e interpretações "científicas" equivocadas. "O trabalho do designer ou do artista gráfico que trabalham com ilustração científica é, justamente, criar novas formas de representação, desafiar os 'leitores' com interpretações novas", finaliza Alberto Cairo.

Retirado do site


Confesso que, sendo estudante de Biologia a área de Ilustração Científica me chama bastante atenção, principalmente quando relacionado a Ornitologia ( estudo de aves), porém podemos ver claramente, que no Brasil a área não é tão enfatizada como deveria. Notamos que todos os dias, são divulgados cursos de informática, Design Gráfico e outros, no entanto, o de Ilustração Científica, fica por debaixo do pano. 
Eu como desenhista, orgulho-me de saber que de alguma forma, colaboramos e muito para o avanço do conhecimento, e noto que cada vez mais o profissional, mesmo não tendo um apoio do governo, vem crescendo consideravelmente "Para a minha alegria". Estamos conquistando o espaço que está na vida de muitos, mas não temos o devido reconhecimento. São poucas as faculdades que tem estes cursos de extensão, tornando assim a área, mais competitiva ainda, porém aos Ilustradores de plantão : Não desistam ! Conquistem seu Espaço !
Enfim, encerro este post, torcendo para que cada vez mais a Arte a Ciência caminhem juntos e que este tenha seu devido valor, reconhecido.

Beijos
Di

Comentários

  1. Excellent post, i certainly enjoy this fantastic website, keep
    posting.

    my website acne remedies

    ResponderExcluir
  2. This text is invaluable. How can I find out more?

    Also visit my homepage: work from home jobs (youtube.com)

    ResponderExcluir
  3. Usually, doctors give pills and medications to people suffering
    from diabetes. When you have type 1 diabetes, doctors will provide you
    insulin injections. These treatments focus on ensuring the pancreas produces insulin.
    Although, such solutions are beneficial for some time, in the long term view, these
    themselves turn into problem due to fact that people
    are forced to keep taking these solutions and injection
    or diabetes will kill them. There must be a different way to treat diabetes.
    Let us go back to the fact that main cause of the diabetes disease is the shortage of insulin
    making by the body. Thus instead of forcing the pancreas
    to produce more insulin, we must first find out why at first
    did the insulin production halted. And then we should try to treat that cause that had been preventing
    insulin formation and so restart the insulin making as usual.
    This way we could cure diabetes faster and also there would be no long term treatments and injections to think regarding.
    Such type of treatment for diabetes is normally known as
    natural diabetes cure as this functioning to restore the natural functioning of the insulin production in the body.
    Thomas Edison was a sufferer of diabetes and in those
    days when these injection and drugs were not produced, he used this very method to cure
    diabetes. You should also try it out, I am providing
    a link to it here.
    Get Rid Of Diabetes

    ResponderExcluir
  4. My brother suggested I may like this web site.
    He was entirely right. This post actually made my day. You cann't believe just how so much
    time I had spent for this information! Thanks!

    Also visit my website - wireless headphones for tv ()

    ResponderExcluir
  5. Do you have a spam problem on this website; I also am a blogger, and I
    was wondering your situation; we have created some nice procedures and we are looking to
    exchange solutions with others, why not shoot me an email if interested.


    My web-site; boyfriend back

    ResponderExcluir
  6. Aгticle writing is also a fun, if you be acquainteed with
    aterward you can write or else it iss complex to աrite.


    my blog :: breast lift cost tulsa ok

    ResponderExcluir
  7. Again, create all shots directly and 8 ball pool cheat brief.

    Ignore 8 Baseball Share Hack and also Tips Tool pictures peril.
    As it was first compared to antidisestablishmentarianism much have been said related to 8 soccer ball swimming chop simply
    by socialists, stuck simply by their own notorious historical past.


    my web page - 8 ball pool hack tool

    ResponderExcluir
  8. Normally I don't learn post on blogs, but I would like to say that this
    write-up very pressured me to try and do it!
    Your writing taste has been surprised me.
    Thank you, quite nice post.

    Here is my blog post - Buy Pure Cleanse

    ResponderExcluir
  9. Just desire to say your article is as amazing. The clearness in your post is simply nice and i could assume you are an expert on this subject.
    Well with your permission allow me to grab your RSS
    feed to keep up to date with forthcoming post. Thanks a million and please continue the gratifying work.


    My webpage: dropcam

    ResponderExcluir
  10. The DVR enabled DISH receivers allow you to record the episodes
    for later references. Hybridization can be used to change the outward appearance of a
    plant or it can change the inner characteristics of a
    plant to make them easier to grow or more appealing to consumers.
    Things that readers are unlikely discover from a regular gardening book.


    My page ... VPS for SEO Tools Review

    ResponderExcluir

Postar um comentário

O que você achou? ^-^

Postagens mais visitadas deste blog

Significado dos Rabiscos Involuntários

Boa Noite Galerinha *-*, animados pra muito chocolate ? srrss
Há muito tempo atrás, eu navegava muito pela net pesquisando testes, perdia horas fazendo-os, até que uma vez, encontrei um teste, mas sobre desenho, sim, aqueles que vc faz involuntariamente,e que podem demonstrar mesmo que sem querer, uns traços de sua personalidade. Enfim, guardei-o com carinho e hoje, fuçando as coisas do pc, achei exemplo de alguns, qual será que vc se identifica enh ? :3 "Espirais: Quem fica desenhando espirais não gosta de ficar sozinho. Desenhos assim são feitos, geralmente, por pessoas que gostam de se destacar no grupo e batalham para ter alguma função em qualquer lugar, em qualquer turma". Espiral para cima - vontade de crescimento - alto astral Para baixo - falta de animo- baixo astral

Tipos de Papéis *-*

Oi pessoal, dessa vez passando para falar sobre nosso amigo mais intimo, mais presente companheiro, nas horas de desenhar, o Papel, como sabemos existe vários deles e para o bom desempenho do trabalho é fundamental um papel adequado. Existem vários tamanhos, gramaturas, marcas e tipos de papéis sendo que cada um é indicado para certos materiais ou técnicas. Vamos começar ?

Tamanho
A primeira coisa para saber sobre os papéis é o tamanho. Para efeito de desenho e artes em geral é suficiente conhecer o tamanho dos papeis que são: A4, A3, A2, A1 e A0. Os seus respectivos tamanhos são:

A4 – Tamanho: 21,0 x 29,7 cm.
A3 – Tamanho: 29,7 x 42,0 cm.
A2 – Tamanho: 42,0 x 59,4 cm.
A1 – Tamanho: 59,4 x 84,0 cm.
A0 – Tamanho: 84,0 x 118,8 cm.


Obs. A maioria dos tipos de papéis só são vendidos somente no tamanho A0. É preciso, na hora da compra, pedir para cortar no tamanho desejado.