Pular para o conteúdo principal

Lulie, sobre a nudez de Lucy

Retirado integralmente e com a devida permissão da Lulie Rosa! :D A primeira a permitir uma publicação de um desenho dela nua no tópico "Nu na Comu", no falecido e saudoso Orkut.

A arte sobre a qual Lulie se refere ao longo do texto. Autor, estamos te procurando, pronuncie-se.


Há uns bons anos (nem sei quantos) eu participava de uma comunidade muito incrível no orkut "desenho logo existo", numa brincadeira clássica dessa comunidade, chamada "nu na comu" em que participantes desenhavam outros participantes nus a partir de fotos em que apareciam geralmente vestidos, ganhei esse desenho, na época eu tinha uns 23 anos e vivia uma realidade bem diferente, quase oposta a de agora, e quando recebi esse desenho tive muito estranhamento. Na verdade, confesso que fiquei até um pouco chocada mesmo. Até evitei olhar muito pra ele, não dei muita atenção e deixei guardado nos arquivos... devo ter falado um "hahaha brigada", mas olhar com profundidade só estou agora, pelo menos 7 anos depois...rsrs E cara, to achando genial. Naquela época eu vivia uma vida totalmente ou quase "normal". E consequentemente lidava com meu corpo também de uma forma bem "normal", sem nenhuma relação de intimidade ou escuta, não sentia muita coisa, as vezes tinha picos de felicidade e bem estar, noutras tinha crises de tristeza, e baixa autoestima. Classificava esses momentos como bons e ruins respectivamente... As vezes sentia dor e dor passava com remédio. Óbvio. Era muito mais pra fora também! Nutria muitas relações de amizade. Estava sempre fazendo algo com alguém. Nunca ia a lugar algum sozinha, evitava passar longas horas comigo mesma. Se tinha tempo livre, buscava preenche-lo com algum programa ou conversando com alguém. Sempre fui de falar bastante e me divertia também. Quando recebi esse desenho veio uma sensação meio esquisita, sangue, corte, víceras... coisas um tanto bizarras e assustadoras pra menina que eu era. Guardei. Hoje olhando, vejo tanta coisa... Esse desenho ressoa tanto com meu ser de agora. em princípio me vem a relação com o sangue, que hoje é suave, intensa até, mas um dia já achei meu sangue meio nojento. Já tive vergonha de menstruar, lembro que ficava vermelha quando ia ao mercado comprar absorvente. E não falava sobre isso com ninguém... Um dia, diferente de agora, já tive dificuldade com a nudez, ao mesmo tempo que me instigava, a ideia de ser vista nua me causava constrangimento também. Assim como a ideia de ser observada me tirava e as vezes ainda me tira a espontaneidade. As vezes ainda me percebo constrangida quando estou fazendo algo muito meu na presença de outras pessoas, as vezes ainda me invade aquele sentimento profundo de que posso não estar fazendo do jeito certo, e essa sensação de inadequação muitas vezes me privava de me expressar com total honestidade e presença. Hoje, quando vem reconheço com carinho, as vezes ultrapasso, noutras recuo, e me perdoo, está tudo bem... Mas o que mais me chama atenção no desenho e no que mais reconheço meu momento de vida é no modo viceral de lidar com meu corpo. Hoje, reconheço meus sentimentos, percebo nitidamente meus ciclos, e me permito vivenciá-los sem nenhum julgamento de bom ou ruim, pois percebo que todos são fundamentais para meu processo de amadurecimento, até mesmo as dores, minha relação hoje é outra. Sempre que vem um sintoma ou um incomodo, percebo e agradeço a oportunidade de lidar com mais um aspecto limitante do meu ser, que sem isso talvez não conseguisse reconhecer. E assim como no desenho, muitas vezes sou eu quem me abro, me rasgo, me despedaço, afim de revelar preciosidades, as vezes escondidas atrás de padrões e crenças que ainda estão instalados e implantados nesse ser que continua vivendo, se desmanchando e se reconstruindo a cada ciclo. Hoje reconheço minhas sombras, assim como meus talentos, minhas preciosidades, hoje reconheço minhas dores, não as silencio mais... ao contrário, procuro sempre dar voz à elas, pergunto ao corpo o que esse sentir vem me mostrar. Sinto as dores, aprendo com elas, mas não me apego mais, permito que sigam e se desfaçam também... Hoje eu diria que estou num momento dentro. As vezes sinto vontade de ter mais gente por perto, de amistosidade, de me divertir e rir mais... As vezes me sinto isolada, me sinto isolar também. As vezes tenho vontade de compartilhar momentos, de me nutrir e nutrir os encontros, mas sinto preguiça também! E quando paro de me julgar me cobrando ter o que não tenho, sentir o que não sinto, posso acolher o meu momento e ir além... Estar comigo, hoje, é um grande prazer, as vezes suficiente, e TUDO BEM. Ps- Alguém da comu na época sabe me dizer quem fez o desenho?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Significado dos Rabiscos Involuntários

Boa Noite Galerinha *-*, animados pra muito chocolate ? srrss
Há muito tempo atrás, eu navegava muito pela net pesquisando testes, perdia horas fazendo-os, até que uma vez, encontrei um teste, mas sobre desenho, sim, aqueles que vc faz involuntariamente,e que podem demonstrar mesmo que sem querer, uns traços de sua personalidade. Enfim, guardei-o com carinho e hoje, fuçando as coisas do pc, achei exemplo de alguns, qual será que vc se identifica enh ? :3 "Espirais: Quem fica desenhando espirais não gosta de ficar sozinho. Desenhos assim são feitos, geralmente, por pessoas que gostam de se destacar no grupo e batalham para ter alguma função em qualquer lugar, em qualquer turma". Espiral para cima - vontade de crescimento - alto astral Para baixo - falta de animo- baixo astral

Tipos de Papéis *-*

Oi pessoal, dessa vez passando para falar sobre nosso amigo mais intimo, mais presente companheiro, nas horas de desenhar, o Papel, como sabemos existe vários deles e para o bom desempenho do trabalho é fundamental um papel adequado. Existem vários tamanhos, gramaturas, marcas e tipos de papéis sendo que cada um é indicado para certos materiais ou técnicas. Vamos começar ?

Tamanho
A primeira coisa para saber sobre os papéis é o tamanho. Para efeito de desenho e artes em geral é suficiente conhecer o tamanho dos papeis que são: A4, A3, A2, A1 e A0. Os seus respectivos tamanhos são:

A4 – Tamanho: 21,0 x 29,7 cm.
A3 – Tamanho: 29,7 x 42,0 cm.
A2 – Tamanho: 42,0 x 59,4 cm.
A1 – Tamanho: 59,4 x 84,0 cm.
A0 – Tamanho: 84,0 x 118,8 cm.


Obs. A maioria dos tipos de papéis só são vendidos somente no tamanho A0. É preciso, na hora da compra, pedir para cortar no tamanho desejado.

♥ Tipos de Lápis *-*

Boa Madrugada pessoal *-*
E ai como estão ?
Hoje trago à vocês, mais um grande aliado na hora de desenhar: O Lápis! Aquele sabe, que é feito de madeira, com grafite em seu interior, pois bem rs Sabia que há aqueles que nem são feitos com madeira? É amigo, ele é completamente feito com grafite.Olhe ele abaixo: